5 dicas pra não pagar mico na Itália

Pagar mico ‘em casa’ é refresco; no exterior, é para os fortes (ou desavisados).

Coloca o coração em paz: todo turista já cometeu uma ‘gaffe’!
Muitas vezes, os micos já começam no aeroporto, com o excesso de bagagem e com a tentativa de transportar objetos vetados na mala de mão. Continuam no avião, no hotel, no restaurante, durante as compras… é mico pra dar e vender!

Pra reduzir o constrangimento, listamos 5 micos que você pode (tentar) evitar na Itália:

 

1. Atenção (muita atenção) na hora de chamar o garçom

Sabe aquele jeitinho brasileiro de chamar o garçom: assobiar, acenar, dar um joinha… ESQUECE! SEPULTA!
Na Itália é considerado muito ofensivo e mal-educado.
Precisa chamar o garçom? Basta um simples ‘cameriere!‘.

 

2. Fica de olho na sinalização

Girar de carro nos grandes centros da Itália não é tarefa fácil, nem mesmo para os italianos. Mas se ainda assim você quer se aventurar, é bom verificar a existência da ZTL (Zona a Traffico Limitato).
A ZTL é uma área no centro de algumas cidades onde o tráfego é limitado aos moradores locais e ao transporte público; ao entrar por engano, você pode acabar pagando, além do maior mico, uma multa!

 

3. Nas escadas: sempre à direita

Nos grandes centros é até possível observar muitos estrangeiros na ‘contra-mão’, mas na Itália e na Europa, em geral, subir e descer escadas não gera drama: todos usam sempre a ‘faixa da direita’.
Nas escadas rolantes a ideia é a mesma: quem fica parado, estaciona sempre do lado direito, deixando espaço do lado esquerdo para os apressadinhos correrem.
Vale lembrar que toda esta ‘ordem’ não é vista no sul da Itália.

 

4. Nas igrejas: trajes comportados

A Itália é um país cheio de igrejas (cheio mesmo) e quase todas com uma grande importância artística e histórica.
Uma vez na Itália, portanto, é quase impossível não visitar um destes monumentos.
Mas atenção ao figurino: enquanto aos homens é permitido entrar usando bermudas, as mulheres devem evitar roupas ‘reveladoras’, cobrindo ombros e pernas. Algumas catedrais e igrejas mais famosas fornecem inclusive lenços aos turistas para cobrir o que não devia estar descoberto!

 

5. Com a pronúncia das palavras não se brinca

Pronunciar de forma esquisita uma palavra estrangeira (e até criar novas palavras) pode gerar muita confusão e grandes ‘gaffes’.
Pra ilustrar este item tive a ajuda das meninas do grupo Mulheres do Brasil na Itália que relataram cada mico…
Aqui vai uma seleção de ouro:

“Eu já passei mico! Não só um… vários! hahahhah
Uma vez, na padaria, estava doida para comer um calzone, mas ao invés de dizer CALZONE, eu falei CAZZONE! hahahhah hahahhah”
Angelina Barreto

“Trabalhando no caixa de um supermercado, tinha um queijo que o display não passava. Eu fiquei nervosa, pois era mês de agosto e tinha uma grande fluência de turistas…aí gritei bem alto …
Manuuuu, o cazzo di cavalo não passa! Todos riram e eu sem entender… O tal queijo se chamava cacio cavallo!”
Ana Carolina

Calma meninas… neste ponto até o Papa já deslizou!

E você!? Já pagou algum mico na Itália? Conta pra gente nos comentários!

 

L’Italia è sempre una buona idea!

Deixe o seu comentário